Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Grupo de Pesquisa

GRUPOS DE PESQUISA (com a participação docentes do Programa de Pós-. Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas)

 

1. “Pragmática (inter)linguística, cross-cultural e intercultural”

Líder: Elisabetta Santoro (USP); vice-líder: Luiz Antônio da Silva (Programa de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa da USP). Docentes: Maria Zulma Kulikowski (Programa de Pós-Graduação em Língua Espanhola e Literatura Espanhola e Hispano-Americana da USP), Ulrike Schröder (UFMG), Luzia Schalkoski (PUC-PR). São integrantes do grupo também a profa. Isabel Seara da Universidade Aberta de Lisboa (Portugal), a profa. Elena Nuzzo da Università degli Studi Roma Tre (Itália) e o pesquisador colombiano Diego Vélasquez, que estuda e trabalha na Itália e colabora com Roma Tre e outras instituições de ensino superior italianas. O grupo de pesquisa está desenvolvendo projetos sobre atos de fala. Em 2016, realizou a “II Jornada de Pragmática da USP” com apresentações de trabalhos também de graduandos e a participação dos membros do grupo que pertencem a universidades estrangeiras.

Para maiores informações:

http://pragmaticausp.weebly.com/

https://www.facebook.com/pragmaticaUSP/

 

2. “Língua, memória e identidade: o italiano dos italianos no Brasil”

Líder: Giliola Maggio; vice-líder: Elisabetta Santoro. Integram o grupo a profa. Fernanda Ortale, além de alunos de graduação e pós-graduação e pesquisadores egressos do Programa, que atuam em outras instituições como a UNIOESTE. O grupo se propõe a investigação da "italianidade" utilizando entrevistas com descendentes de italianos, observadas e analisadas a partir de diferentes abordagens teóricas.

 

3. “A tradição literária italiana”

Líder: Maria Cecilia Casini (USP); vice-líder: Emanuel França de Brito (pós-doutorando USP, egresso do Programa). Integram o grupo, entre outros, os pesquisadores Sergio Romanelli (UFSC) e Doris Cavallari (USP). Participam também estudantes de graduação e pós-graduação da USP. Em 2016, o grupo organizou o evento “Una città, due autori: la Ferrara di Ludovico Ariosto e Giorgio Bassani”, com a participação de alunos, que, em alguns casos, apresentaram trabalhos.

 

4. “Interações didáticas em foco na formação de professores de línguas”

Líder: Roberta Ferroni; vice-líder: Fernanda Ortale. Integram o grupo a Profa. Dra. Eliane Lousada (Programa de Pós-Graduação em Língua e Literatura Francesa da USP), Dra. Heloisa Brito de Albuquerque Costa (Programa de Pós-Graduação em Língua e Literatura Francesa da USP), Maria Helena Araújo e Sá (Departamento de Educação da Universidade de Aveiro-Portugal) e Marilisa Birello (Universitat  de Barcelona - Espanha). O grupo de pesquisa reúne uma equipe de especialistas em processos de interação na aula de LE e na formação de professores de LE. Além da formação de especialistas em processos de interação verbal, o grupo visa a atender profissionais inseridos em vários contextos de ensino-aprendizagem de LE no Brasil, dentre os quais os professores de língua da Educação Básica e os formadores de professores em contexto universitário, com o intuito de difundir uma abordagem epistemológica fortemente orientada para a ação.

 

5. “A aquisição de marcadores discursivos na fala dialógica de aprendizes de italiano le – de nível  intermediário e avançado – mediante uma abordagem conversacional”

Líder: Roberta Ferroni; vice-líder: Alejandra Mordente. Integram o grupo a Profa. Dra. Marilisa Birello (Universitat  de Barcelona - Espanha) e a Profa. Dra. Margarita Natalia Borreguero Zuloaga (Universidad Complutense de Madrid- Espanha) (Projeto regular FAPESP - processo 2016/08917-9)

O objetivo do grupo é desenvolver entre estudantes de italiano LE – de nível intermediário e avançado – consciência e capacidade de uso em relação à utilização dos MD da língua italiana e, portanto, garantir um progresso eficaz na aprendizagem da competência discursiva em língua italiana LE, mediante uma abordagem conversacional. A pesquisa será articulada em duas fases. Durante a primeira fase do projeto serão elaboradas tarefas (tasks) que proponham uma sequência equilibrada e alternada entre atividade de descoberta e atividade de reutilização do MD, por meio de “espaços interativos” que favoreçam a produção (output) em italiano LE. Posteriormente, tal material será publicado on-line com a criação de um blog denominado “Ma dai!: proposte didattiche per l’apprendimento dei segnali discorsivi in italiano LS ”. O material elaborado durante a segunda fase do projeto será implementado nas turmas de estudantes universitários brasileiros inscritos nos cursos de Língua Italiana do curso de graduação em Letras  (Habilitação em Língua e Literatura Italiana) da Universidade de São Paulo. Nessa fase, que nos permitirá estudar os efeitos produzidos pelo material projetado sobre a interlíngua dos aprendizes, será criado um banco de dados, denominado “Observatório sobre a aquisição dos marcadores discursivos em italiano LE de aprendizes de LM português brasileiro”, disponível on-line, que incluirá um inventário dos MD e de suas relativas funções, desenvolvidas por cada MD, conforme o contexto de ocorrência. Para a análise das funções dos MD adotaremos a taxonomia de Bazzanella (1995, 2001), complementada por um conjunto de noções e referências extraídas da análise conversacional. 

 

6. “Funções discursivas e identitárias da troca de códigos em famílias tri-geracionais de origem italiana residentes na cidade de São Paulo em contextos de confraternização”

Líder: Roberta Ferroni (USP); vice-líder: Giliola Maggio (USP). Integram o grupo também Olga Alejandra Mordente (USP), Fernanda Veloso (UFPR) e Anna Ciliberti (Università per Stranieri di Perugia), além de pós-graduandos e graduandos. Com base em uma abordagem micro- sociolinguística, o grupo se propõe o estudo do repertório linguístico de famílias tri-geracionais de origem italiana residentes na cidade de São Paulo.

 

7. “Estudos linguísticos e aquisição/aprendizagem do Italiano como língua estrangeira”           

Líder: Sergio Romanelli (UFSC); vice-líder: Maria Cecilia Casini (USP). Integram o grupo Elisabetta Santoro e Roberta Ferroni (USP) e docentes, pós-graduandos e graduandos de diversas IES brasileiras (UFMG, UFPR, UFC) e estrangeiras (Università degli Studi “Gabriele d’Annunzio” Chieti-Pescara). Está realizando, com a colaboração de alunos de graduação e pós-graduação, um importante projeto de tradução de alguns dos clássicos sobre o tema “questione della lingua”, cujos resultados já foram publicados em livros e artigos científicos.

 

8. “Literatura, História e Tradução”

Líder: Patrícia Peterle (UFSC); vice-líder: Andrea Santurbano (UFSC). Integram o grupo Lucia Wataghin (USP) e outros docentes, pós-graduandos e graduandos da USP e da UFSC. Está ligado a esse grupo de pesquisa o projeto “Literatura Italiana Traduzida”, que obteve financiamento da Fapesp (2014-2016),  para a produção de um mapeamento e do “Dicionário Bibliográfico da Literatura Italiana Traduzida”, que conta também com a colaboração da equipe da área de Biblioteconomia ECA-USP e alunos com bolsas de treinamento técnico da Fapesp. Os primeiros resultados encontram-se on-line (www.dlit.ufsc.br e http://www.usp.br/dlit/). No ano de 2016, o grupo organizou o evento “IV Jornada de Literatura Italiana Traduzida” e participou de eventos para divulgação da pesquisa.

 

9. “Estudos Leopardianos”

Líder: Andréia Guerini (UFSC). Integram o grupo: Lucia Wataghin (USP), Anna Palma (UFMG), José Expedito Passos Lima (UECE), Karine Simoni (UFSC), Marco Lucchesi (UFRJ), Silvia La Regina (UFBA), Marcelo Bueno de Paula (UEMS), Tânia Mara Moysés (UFSC), além de pós-graduandos e graduandos de diferentes instituições.

 

10. “Grupo de Estudos Italo Calvino”

Líderes: Eclair Antonio Almeida Filho (UnB) e Andréia Guerini (UFSC). São integrantes do grupo Adriana Iozzi e Roberta Barni (USP), além de docentes e estudantes de várias IES brasileiras, entre as quais UFMG, UNICAMP, UFPR.

 

11. “Narrativas Estrangeiras Modernas”

Líderes: Cátia Inês Negrão Berlini de Andrade e Antonio Roberto Esteves (UNESP/Assis). Integra o grupo Adriana Iozzi (USP) e pesquisadores e estudantes de outras IES brasileiras (entre outras, UNIOESTE, UNIMAR).