Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Imagem

Perfil do Egresso

A principal característica do perfil do egresso do Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas é a excelência em sua formação, que o torna especialista em Italianística. Para tanto, o Programa oferece percursos formativos, por meio dos quais os pós-graduandos podem alcançar elevados níveis de especialização profissional e de preparação para a pesquisa, e também tornar-se aptos para o mercado de trabalho e para as exigências de um mundo no qual o contato entre diferentes países, línguas e culturas está cada vez mais intenso.

A expectativa é que os egressos se tornem não só docentes para o ensino superior, para o ensino médio ou de línguas, mas também profissionais do setor da tradução e interpretação e do campo editorial, bem como pesquisadores de língua, literatura e cultura italianas no país, especialmente em diálogo com a língua portuguesa, a literatura e a cultura brasileiras, explorando, quando possível, também o percurso inverso.

O Programa busca oferecer aos seus alunos oportunidades que permitem desenvolver diferentes competências exigidas ao futuro pesquisador e docente. Dentre elas, destacam-se as relativas: (a) à prática da pesquisa, não apenas individual, mas também em equipe; (b) ao conhecimento sólido das teorias e das metodologias dos estudos linguísticos, literários e tradutológicos ligados à área de Italianística; (c) ao desenvolvimento de saberes técnicos fundamentais ao trabalho acadêmico, tais como os requeridos para o ensino (por meio de estágios de docência como o PAE- Programa de Aperfeiçoamento de Ensino, cujo objetivo é aprimorar a formação do pós-graduando para atividade didática de graduação), a pesquisa, a organização de eventos, as comunicações, as publicações científicas e o debate de resultados de pesquisa, incluindo a criação de sites e periódicos, tendo sempre como horizonte a atuação colaborativa em equipes de pesquisa; (d) à participação nos fóruns institucionais em que são tomadas decisões relevantes para a vida acadêmica.

Com o objetivo de alcançar os dois primeiros itens, o Programa busca planejar suas atividades de ensino e pesquisa, de modo que possam se desenvolver de forma integrada. Além disso, os docentes procuram inserir seus alunos nos diferentes grupos de pesquisa, nos quais, entre outras coisas, são desenvolvidos projetos individuais e coletivos, são realizadas leituras e discussões de textos teóricos, são sugeridas disciplinas de pós-graduação (dentro e fora do Programa) e estabelecidas relações com outros pesquisadores do Brasil e do exterior.

Os estudantes recebem estímulo do Programa para realizar estágios no exterior, entendidos como oportunidades ímpares de aprofundamento teórico, coleta ou tratamento de dados, acesso a bibliotecas especializadas e de vivência acadêmica em centros de investigação de excelência, que favorecem a possibilidade de criação de outras redes de colaboração acadêmica internacional.

No mesmo sentido de aprimorar a formação de mestres e doutores, o Programa celebra acordos e convênios bilaterais, que envolvem a mobilidade discente e a dupla titulação e oferece inúmeros cursos, palestras, disciplinas com professores convidados, do Brasil e do exterior.

Os  alunos também atuam como organizadores de eventos de interesse para o Programa, ligados às suas linhas de pesquisa e aos seus projetos. Além de realizar cursos, desenvolver suas pesquisas (eventualmente com os estágios em instituições estrangeiras), organizar e participar de eventos, publicar os resultados de suas pesquisas, os mestrandos e doutorandos do Programa interagem cotidianamente com os alunos da graduação, seja no âmbito dos grupos, seja em estágios de docência como o já mencionado PAE, nos quais desenvolvem habilidades  para atuação no ensino superior, seja durante as inúmeras atividades promovidas pelo Programa, abertas à participação de todos.